Português proibido de entrar em supermercados por se masturbar em público


Eugénio Freitas, de 49 anos, casado e pai de quatro filhos, foi apanhado a masturbar-se na secção de carne de um supermercado Sainsbury's, em Inglaterra, a 8 de julho. Segundo apurou o tribunal, foi filmado com as mãos no bolso a acariciar os genitais através das calças, durante 10 minutos.

Uma empregada do supermercado reparou em Eugénio Freitas, mas deu-lhe o benefício da dúvida e entendeu que este estaria apenas "a ajustar" os genitais. No entanto, uma cliente viu a cena com outros olhos e chamou a polícia. "Este tipo de ofensas causam apreensão e alarme. Disse ao oficial de justiça que tinha uma compulsão para se masturbar em público e parece incapaz de identificar e lidar com as consequências do que faz", declarou o juiz Paul Glenn, na leitura da sentença.

O advogado de Eugénio Freitas disse que o cliente foi vítima de "um desejo sexual excessivo" e inesperado. "Ele foi ao supermercado única e exclusivamente com intenção de fazer compras, mas infelizmente cometeu estas ofensas enquanto lá estava", disse Hamish Noble.

"Estava com a roupa vestida. Não houve uma exposição evidente", acrescentou o advogado de Eugénio Freitas, que foi ainda condenando a pagar 150 libras de custos e 80 de multa, totalizando cerca de 272 euros.

Residente em Knutton, Straffordshire, Eugénio Freitas tinha sido admoestado por um incidente de exposição sexual, em 2008, também num supermercado. Em 2010, entrou para a lista de agressores sexuais do Reino Unido, na sequência dessa ofensa.

Apesar de ter um nome e apelido aparentemente de origem portuguesa, os serviços da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas não têm registo de que Eugénio Freitas seja cidadão nacional.

Gostou? Partilhe...

Posts Relacionados

Português proibido de entrar em supermercados por se masturbar em público
4/ 5
Oleh
Página inicial