Cátia fala no reencontro com a sua filha: "Ela estava tão grande"

cátia palhinha casa dos segredos
Cátia Palhinha e Márcio Matos pensam no casamento, mas só se a vida lhes correr bem. "Sem dinheiro não se faz". A grande vencedora do Desafio Final da Casa dos Segredos, que já tem anel de noivado, confessa que teve saudades da sua filha, Laura, mas o reencontro foi bom, "Ela estava tão grande. Fartei-me de chorar". Cátia que manter-se na televisão e continuar a representar, mas se ficar sem trabalho, "Vou para fora".

Entrevista de Cátia Palhinha e Márcio Matos para a Revista TV Guia:

O que a levou, mais uma vez, entrar para a Casa?
Cátia Palhinha: O prémio, para ajudar a minha família. Precisava. A palavra é mesmo essa. E graças a Deus e às pessoas, consegui.

Mas tinha a certeza que ia arrecadar o prémio final? Era a ausência de João Mota que a fazia ter tanta certeza? Cátia Palhinha: O Márcio tinha-me dito que se era para ir, era para ir a sério. E eu mentalizei-me que ia para ganhar. Contudo, ao fim de duas semanas, fui-me abaixo. Desmoralizei-me, porque eram muitas personalidades fortes à minha volta, um jogo muito agressivo, cheio de discussões… Nessa altura, fiquei muito em baixo. Mas, pelos vistos, joguei bem e parece que as pessoas estão comigo. Passado um ano e tal, ainda não me esqueceram.

Quando saiu, no final da segunda edição, não aproveitou a sua popularidade. Desta vez o que vai mudar? Cátia Palhinha: Vou aproveitar tudo o que não fiz, devido à gravidez. Desta vez, quero fazer presenças, televisão… Márcio Matos: Também teve azar, porque não trabalhou com as pessoas certas.
Cátia Palhinha: Não trabalhei com o agente indicado. Felizmente, a TVI voltou a lembrar-se de mim.

A vida na Casa foi muito complicada agora... Cátia Palhinha: Personalidades muito diferentes...

O pior foram os confrontos com a Susana... Cátia Palhinha:A mesma coisa da Casa 2. Vai sempre bater na mesma. Mas com isso posso eu bem. Eu até gosto da Susana...

Mesmo depois de ela lhe ter dito que lhe podia roubar o Márcio com um estalar de dedos? Cátia Palhinha: Eu não consigo ter raiva dela... Márcio Matos: Ela não consegue ter é raiva de ninguém. Ela é assim mesmo. Cátia Palhinha: Ela fez-me mal, fico magoada, mas não consigo não deixar de gostar dela. Até porque ela, depois, veio pedir-me desculpa. Não sei se os sentimentos dela eram verdadeiros, mas perdoei-a.

Foi difícil ver a Cátia chorar?
Márcio Matos: Sim. Ficava muito triste quando os via a atacarem-na. Era difícil não poder fazer nada e estar sempre cheio de saudades. Por isso mesmo, passei o tempo colado à televisão para a ver. Matava saudades dela assim.

Manteve-se muito amiga de Fanny, de Daniela… E como ficou com João Mota? Cátia Palhinha: Não fiquei. Achei que ele usou a Fanny para ganhar. Ele sabe o que fez. Fiquei triste com ele. Ele podia ter-se mantido amigo da Fanny e nem isso fez. Mas quero é que ele seja feliz. Se tem o que tem é porque merece.

Casamento adiado

Foi  difícil dizer adeus à sua filha, Laura, quando foi chamada para o programa? Cátia Palhinha: Foi muito difícil! Vim o caminho para Lisboa com o coração partido. E dentro da casa nunca esperei que me custasse tanto.

Por que é que evitou falar dela? Cátia Palhinha: Porque achava que, se falasse, não ia aguentar. Aliás, se o programa tivesse durado mais uma semana, eu tinha-me vindo embora. Custou-me muito. Nem a foto dela via sem ser de manhã e à noite. Felizmente a Fanny ajudou-me quando mais precisei.

Como é que foi ficar com a Laura sozinho?
Márcio Matos: Correu bem. Tive muita ajuda dos meus pais e dos meus sogros. Não faltou amor e carinho à minha filha.

Como foi reencontrar-se com a sua filha após três semanas longe uma da outra?
Cátia Palhinha:  Tão bom. Ela estava tão grande. Fartei-me de chorar. Tinha tantas saudades. E depois vi que estava tudo bem e deixei de ter o coração nas mãos. Márcio Matos: A Cátia, desde que a mãe voltou, agarrou-se a ela e não a largou mais. Cátia Palhinha: Ela é pequenina, mas não me esqueceu. Os bebés não esquecem.

Alguma vez pensou que ia ser mãe tão cedo? Cátia Palhinha: Sempre tinha dito que queria ser mãe jovem, mas não esperava que fosse logo a seguir a sair da Casa. Aconteceu... mas se ela veio é porque tinha que vir. E posso dizer que se tivesse que repetir fazia-o oura vez.

Conheceu o Márcio e logo a seguir encomendou o bebé... Cátia Palhinha:Eu já conhecia o Márcio antes, só não éramos namorados. Apaixonámo-nos e veio a Laura.

É verdade que, entretanto, ele já a pediu em casamento? Márcio Matos: Já lhe tinha pedido [mostra o anel de noivado que ele lhe deu quando estava grávida]. Mas, infelizmente, financeiramente ainda não deu para seguir e frente ou para fazer um pedido elaborado.

Quer muito casar? Cátia Palhinha: Sim… para depois podermos baptizar a menina. Só a baptizo depois de casada... Márcio Matos: Não sabemos ainda. Pode ser antes… se a nível financeiro puder…. porque, para casar, quero fazer como deve ser. Não quero dar um jantar para 30 ou 40 pessoas e já está. O sonho que tenho de criança inclui convidar os meus amigos todos, a minha família, ir à igreja, fazer um casamento de 200 pessoas. Ou é ou não é. Sem dinheiro não se faz.

Sufoco da pobreza

Como é que vai driblar a tarefa de ser mãe, fazer presenças, viajar e ainda ser mulher? Cátia Palhinha: Vou conciliar tudo. O Márcio vai comigo, pois está de férias do bar. Mas quero agradar aos fãs, à minha família e à minha filha. A Laura não me vai perder. Vou estar com ela todas as semanas. Não me importo de me esforçar mais, mas quero estar com ela o máximo de dias possíveis.

E que mais quer fazer, além de presenças? Cátia Palhinha: Queria manter-me na televisão e continuar a representar.

Antes de entrar na Casa, a sua família passava por sérias dificuldades. Como está a situação? Cátia Palhinha: Na mesma. Continuam desempregados.

Como foi viver esta situação tão difícil quando se é mãe tão nova? Cátia Palhinha:Foi sufocante. Mexeu comigo emocionalmente. Até fiquei doente e tudo. Foi um ano difícil. Só Deus sabe como o passei. O Márcio foi a minha grande ajuda em tudo isto, financeiramente e psicologicamente. Se não fosse ele, não tinha conseguido fazer metade...

É verdade que teve uma depressão? Cátia Palhinha: Não. Tive gripes e constipações que não conseguia curar devido às andanças em que me vi metida.

Agora tem o dinheiro do prémio. E quando este se acabar, como vai ajudar a sua família? Cátia Palhinha: Como puder, como fiz sempre.

Para já, tem trabalho. Mas como será se ficar sem ele? Cátia Palhinha: Vou para fora. Tenho uma filha para criar. Se não puder realizar o meu sonho, vou-me embora. Se nem eu nem o Márcio tivermos trabalho aqui, vamo-nos embora para o estrangeiro.

Mesmo depois da má experiência que viveu? Cátia Palhinha:  Vou na mesma. Sou muito corajosa.

Vai ser difícil partir e deixar a sua família para trás? Cátia Palhinha:Eu levo-a comigo. Não vou sozinha. Vai tudo.

Gostou? Partilhe...

Posts Relacionados

Cátia fala no reencontro com a sua filha: "Ela estava tão grande"
4/ 5
Oleh
Página inicial